TIAGO ABRAVANEL EM BRASÍLIA

 

Net Live Brasília apresenta Tiago Abravanel, no dia 31 de outubro de 2014 (sexta-feira), às 23h. Confira.
Data: 31 de Outubro, Sexta
Hora: Abertura dos portões: 21h || Show: 23h
Local: NET Live Brasília – SHTN Trecho 2, Conjunto 5, Parte A, Próximo ao Baypark

 

Sobre o Show com Tiago Abravanel em Brasília

 

Tiago Abravanel mostra toda sua versatilidade, num formato de show e festa que, integrando com o público, mistura diferentes géneros, estilos musicais, e interpretando os famosos cantores da música nacional, tais como Roberto Carlos, Lulu Santos, Djavan, Cazuza, Ivete Sangalo e como não poderia faltar, Tim Maia.

 

ECLÉTICO é também o nome da música carro-chefe desse seu novo trabalho e já virou videoclip, em que o artista homenageia mais de 20 celebridades artísticas, algumas que o influenciaram na carreira musical e outras que marcaram e ainda marcam muitas gerações.

 

Ingressos

 

Pista
R$ 70,00
Mesas em frente ao palco – 4 Pessoas

 

Prata: R$ 500,00
Ouro: R$ 600,00
*Valores dos ingressos sujeitos à alterações sem aviso prévio.

 

Pontos de Venda
Central de Ingressos Brasília Shopping (Piso G2)
Loja da Bilheteria Digital (Pátio Brasil)
Casa do Cowboy (Taguatinga)
bilheteriadigital.com
*Mesas somente na Central de Ingressos do Brasília Shopping

 

Mais Informações
Telefone: (61) 3342-2232
Classificação: 16 anos

 

Fonte: De Boa Brasília

Categoria: Fique de Olho
Tags: , , , , ,
Comentar

O SISTEMA DE TRANSPORTE URBANO NO BRASIL: UMA BREVE REFLEXÃO

Por Prof. Flávio A. C. Basilio

 

O setor de transportes é, sem dúvida, um dos mais importantes do país, com altos efeitos de ligação/encadeamento para frente e para trás, de modo que transformações nesse setor repercutem em toda a economia. A experiência internacional mostra que existem três tipos de arranjo institucional relacionado à oferta de transporte coletivo urbano por meio do modal rodoviário: monopólio estatal, firmas privadas não reguladas e sistema híbrido baseado na oferta privada de serviços com regulação e imposição de regras pelo Estado. Sob este aspecto, a experiência internacional dos últimos 30 anos consagra a adoção do sistema híbrido de atuação. De um lado, as experiências estatais, como as do Chile da década de 1970, mostram que o resultado final é a crônica insuficiência de oferta de transporte coletivo, baixa qualidade dos serviços, alto tempo de espera, ônibus lotados e elevado custo social.

 

Do outro, as estratégias liberalizantes de ampliação da concorrência, ancoradas na ideia de que o mercado livre seria capaz de aumentar a oferta dos serviços e a redução das tarifas devido à concorrência, foram capazes de aumentar a oferta dos serviços. Contudo, como qualquer monopólio natural, esta elevação da oferta foi acompanhada de crescente elevação do preço da tarifa (muito acima do preço dos combustíveis) e excesso de capacidade ociosa, com externalidades negativas sobre o trânsito e poluição. Como colateral, observou-se, ainda, aumento da idade média da frota de ônibus e defasagem tecnológica do capital empregado. Com efeito, a liberalização além de não conseguir restringir o poder de mercado das empresas, ainda gerou ineficiência no setor porque, na presença de mais empresas do que o socialmente ótimo (monopólio), os custos de operação do sistema são maiores devido à impossibilidade de diluir o custo fixo.

 

Por essas razões, a experiência internacional consagrou a adoção do sistema híbrido de atuação, com oferta de serviços por meio da iniciativa privada e regulação tarifária e determinação de padrões mínimos de qualidade por meio do setor público.

 

Assim, o problema do monopólio natural coloca para o formulador de políticas econômicas um conflito entre a eficiência alocativa e a eficiência produtiva. Para alcançar a eficiência produtiva, uma única firma deve ofertar o serviço, pois assim, minimizam-se os custos de produção. No entanto, se uma única firma produz no mercado, ela terá a tendência em fixar os preços acima do custo marginal visando maximizar seus lucros, de tal modo que a eficiência alocativa, do ponto de vista de oferta do serviço, não será alcançada. Para garantir o benefício dos dois regimes de atuação, o sistema híbrido deve ser dotado de independência e deve regular a regra de fixação de preços, com adicional imposição de metas de qualidade, para evitar perdas de eficiência relacionadas a estratégias desinteressadas de redução de custos por parte das empresas. Ressalte-se que na insuficiência de um importante arranjo institucional, a estrutura do mercado levará, inevitavelmente, a captura do regulador pelas empresas.

 

Este resultado, em última análise, traz aos usuários os mesmos problemas evidenciados nos sistemas puros de atuação, ou pior, a majoração desses problemas, que agora aparecem conjuntamente. Parece que este é o caso observado na economia brasileira, no qual a ausência de um sistema centralizado, independente e organizado de regulação leva à ineficiência alocativa e produtiva do sistema de transporte urbano rodoviário de passageiros, hoje a cargo das prefeituras municipais.

 

Sobre o autor:


 

Flávio A. C. Basilio – Economista com Ph.D em economia. Professor de administração do UDF.

Categoria: Retrato
Tags: , , , ,
Comentar

JOVEM É DESAFIADO A VIRAR VERDADEIRO CRIADOR DE JOGO DE TABULEIRO EM FILME

O inventor de jogos conta a história do garoto fascinado por jogos de tabuleiro

Inspirado no livro homônimo do argentino Pablo de Santis, O inventor de jogos conta a história do garoto fascinado por jogos de tabuleiro Ivan Dragó (David Mazouz). Depois de vencer uma competição como inventor de jogos e de muitos mistérios surgirem, Ivan é levado para dentro da Companhia de Jogos Profundos, onde Morodian (Joseph Fiennes) desafiará o pequeno a se transformar em um verdadeiro inventor. Essa é uma das aventuras que Ivan vive no filme.

 

O inventor de jogos é a estreia de Juan Pablo Buscarini fora das animações

 

Trailer:

 

Sinopse:

 

Ivan Drago (David Mazouz) descobre nos jogos de tabuleiro um novo hobby. O esporte o leva para o fantástico e competitivo mundo de invenção de jogos, onde ele conhece o inventor Morodian (Joseph Fiennes), que há tempos deseja destruir a cidade de Zyl, criada pelo avô de Ivan. Para salvar sua família do vilão, o menino deve descobrir o que significa ser um verdadeiro Inventor de Jogos.

 

Ficha técnica:

 

Titulo Original: The Games Maker

Pais: Argentina/Canadá/Itália

Ano: 2014

Genero: Aventura, Família

Direção: De Juan Pablo Buscarini

Duracao: 111

Censura: Livre

Elenco: Com Edward Asner, David Mazouz, Joseph Fiennes

 

Fonte: Divirta-se mais/ Correio Braziliense

Categoria: Literatura e Filmes
Tags: , ,
Comentar

VIAGEM PELO MUNDO ATRAVÉS DAS HISTÓRIAS

Dos dias 27 de Setembro a 09 de Novembro a Caixa Cultural Brasília traz, Viagem Pelo Mundo Através das Histórias, uma exposição interativa do grupo carioca Os Tapetes Contadores de Histórias. Em cartaz na Galeria Principal. Confira!

 

 

Data: 27 de Setembro a 09 de Novembro

Hora: Das 9 às 21h, de terça a domingo

Local: Caixa Cultural Brasília – SBS Quadra 4 – Lote 3 e 4 (Galeria Principal)

 

Viagem pelo mundo através das histórias é mais um ousado, bem elaborado e inovador projeto com criação e idealização do conhecido grupo Os Tapetes Contadores de Histórias, que retornam à Brasília depois de 4 anos sem se apresentarem por aqui. Neste, o grupo propõe às crianças e aos adultos, brasileiros ou estrangeiros, a viajarem por um mundo de fantasia onde a ambientação da instalação e as ações nela realizadas convidam uma aproximação afetiva com as influências de culturas diversas na significação do mundo, utilizando a força da narrativa.

 

A ambientação traz os delicados tapetes do acervo do grupo, com seus bordados a aplicações especiais, tecidos que se transformam em cenários para que bonecos de pano se transformem em personagens, e possam viver suas aventuras nas palavras e nas mãos dos contadores e visitantes. Esta exposição apresenta um recorte no repertório do grupo, com obras inéditas e outras do acervo permanente. Algumas das obras foram criadas pelos integrantes d’Os Tapetes Contadores de Histórias, outros em processos colaborativos durante oficinas realizadas na cidade do Rio de janeiro, e outro feitos em parceria com artistas e artesãos do Peru e França.

 

De origens diversas, as narrativas que inspiraram as criações dos tapetes e outros materiais, no geral, convidam o visitante a conhecer culturas de outros países e a brasileira. Além de histórias da tradição oral sul-americana, europeia, africana, asiática e da Oceania, há também importantes textos de autores nacionais como Graciliano Ramos, Ana Maria Machado e Ricardo Azevedo. Há 16 anos o grupo, capitaneado por Cadu Cinelli e Warley Goulart, vem desenvolvendo propostas artísticas multidisciplinares que alinhavam as artes têxteis, oralidade, teatro e animação de formas.

 

Sessões das Histórias:

 

Todas as sessões de histórias acontecem num local reservado dentro da exposição constituído de almofadas e cadeiras, distribuídas em semicírculo. Terça e quintas 14h e 15h, quartas 10h e 14h e sextas às 10h, são atendidas turmas de escolas e grupos previamente agendados. Cada grupo ou turma agendada terá transporte e lanche gratuitos.

 

Aos finais de semana, com entrada franca e distribuição de senhas (1 hora antes) para o público em geral, são apresentadas também sessões às 11h e 16h – 40 senhas

 

Ateliês de Histórias:

 

Oficinas sobre a arte de contar histórias Intercalando teoria e prática, a oficina se dedica ao tema da arte de contar histórias e seus desdobramentos, onde os participantes passam por dinâmicas em torno das práticas narrativas, do diálogo entre narração e animação de formas e criação de suportes plásticos (tapetes, painéis, etc.). Com duração de 12 horas, divididas em quatro encontros, a oficina é direcionada a profissionais de arte, literatura, educação e leitura, bem como todos os interessados em conhecer e se aprofundar nos princípios e nas possibilidades criativas da arte de contar histórias. Cada oficina será ministrada por um dos coordenadores do grupo, Cadu Cinelli e Warley Goulart.

 

A exposição oferecerá duas oficinas gratuitas ao público, seguindo a seguinte metodologia:

 

1) Formação de Contadores de Histórias (9h): Práticas Narrativas, Múltiplas Relações com as Narrativas, Recursos Disponíveis do Contador de Histórias, Qualidade do Comprometimento com as Histórias, Ritmo e Musicalidade da Palavra, Análise das Características Estruturais e Estilísticas dos Contos, Manipulação de Objetos, Discussões Temáticas e Formação de Repertório.

 

2) Planejamento, Confecção e Ensaio com os Cenários (3h) : Análise Espacial dos Contos, Noções de Composição de Texturas, Fabricação dos Suportes, Ensaio com os Materiais Criados. A primeira turma será de 14 a 17 de outubro com Cadu Cinelli e a segunda, de 4 a 7 de novembro, com Warley Goulart – ambas das 18h às 21h. – Cada oficina atende até 25 participantes, mediante inscrições pelo e-mail: oficina.tapetes@hotmail.com, da 0h do dia 6 de outubro, às 23h59 do dia 10 de outubro. Os selecionados deverão fazer a doação de 01 kg de alimento não perecível.

 

Palestras – Dois encontros reflexivos:

 

O primeiro será ministrado por Cadu Cinelli d’Os Tapetes Contadores de Histórias, que desenvolverão o tema “a arte de contar histórias e seus desdobramentos na educação”, a partir da trajetória e pesquisas que o grupo vem desenvolvendo ao longo dos últimos anos. Acontece no dia 29 de setembro, das 19h às 21h, no Teatro da CAIXA. Entrada franca, limitado à lotação do espaço.

 

O segundo encontro terá como convidado o professor André Magela da Universidade Federal de São João del Rei (MG) que tratará de questões ligadas a narratividade e subjetivação No dia 22 de outubro, das 19h às 21h, na Sala Gente Arteira, limitado a 40 pessoas. Por ordem de chegada, limitado ao numero de vagas.

 

Rodas de histórias:

 

Tendo como propósito principal a troca de experiências e culturas, a roda de histórias acontecerá no dia 31 de Outubro, sexta-feira, das 18h às 20h, recebendo público de até 40 pessoas. Por ordem de chegada, limitado ao numero de vagas.

 

Fonte: De Boa Brasília

Categoria: Cult
Tags: , , , , , , ,
Comentar

PROTOCOLO DE NAGOYA COMEÇA A VALER SEM A PARTICIPAÇÃO DO BRASIL

Com adesão oficial de 51 países, acordo diz respeito ao acesso a recursos genéticos e repartição de benefícios da biodiversidade

RIO – O Protocolo de Nagoya, acordo internacional sobre o acesso a recursos genéticos e a repartição justa e equitativa dos benefícios de sua utilização, entrou em vigor sem a participação do Brasil, embora o país seja signatário. O texto do documento, ratificado por 51 países, foi oficializado no domingo, em Pyeongchang, na Coreia do Sul, durante a XII Conferência das Partes (COP) da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB).

O Pantanal Mato-grossense, exemplo da biodiversidade brasileira – YASUYOSHI CHIBA / AFP

 

A oficialização do documento foi seguida pela primeira Reunião das Partes do Protocolo de Nagoya, com agenda até o próximo dia 17 e participação das referidas nações que integram o acordo. O encontro deu início às discussões para a implementação do que está previsto no documento, que só foi validado após as 50 ratificações necessárias para entrar em vigor.

 

A não participação do Brasil, considerado a nação com a maior biodiversidade do planeta no protocolo, enfrenta críticas de especialistas. A expectativa é que a entrada em vigor do tratado proporcione mais segurança jurídica e maior transparência para provedores e usuários de recursos genéticos.

 

O mote é a criação de uma estrutura voltada ao uso de recursos genéticos e conhecimentos tradicionais associados ao reforçar as oportunidades para uma partilha justa e equitativa de benefícios. O protocolo pode dar novos incentivos à conservação da biodiversidade e ao uso sustentável de seus componentes.

 

“Ferramentas práticas como o Protocolo de Nagoya são fundamentais para o uso sustentável e equitativa da biodiversidade. Congratulo os Estados-membros que ratificaram esse instrumento jurídico internacional importante. Ao cumprir a promessa feita na Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável de 2002, fizeram uma contribuição significativa para a agenda de desenvolvimento sustentável pós-2015”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, em material divulgado recentemente pela ONU, no Brasil.

 

Ratificaram ou aderiram ao tratado: Albânia, Belarus, Benin, Butão, Botsuana, Burkina Faso, Burundi, Comores, Costa do Marfim, Dinamarca, Egito, Etiópia, União Europeia, Fiji, Gabão, Gâmbia, Guatemala, Guiné-Bissau, Guiana, Honduras, Hungria, Índia, Indonésia, Jordânia, Quênia, Laos, Madagascar, Ilhas Maurício, México, Estados Federados da Micronésia, Mongólia, Moçambique, Mianmar, Namíbia, Níger, Noruega, Panamá, Peru, Ruanda, Samoa, Seicheles, África do Sul, Espanha, Sudão, Suíça, Síria, Tadjiquistão, Uganda, Uruguai, Vanuatu e Vietnã.

 

Fonte: O Globo

Categoria: Acontece
Tags: , , ,
Comentar

PACIENTE QUE TEVE SUSPEITA DE EBOLA PEDE PRIVACIDADE E DEVE RECEBER ALTA LOGO

O paciente que continua internado na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) após ter sido descartada a suspeita de ebola não tem mais necessidades clínicas para permanecer hospitalizado e deve deixar o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) assim que seu transporte for acertado e os últimos exames forem realizados.

 

Médicos do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas comentam caso de paciente com suspeita de ebolaTânia Rêgo/Agência Brasil

 

“A liberação dele independe dos resultados. Está condicionada à questão logística mesmo”, disse o vice-diretor do INI, José Cerbino, que participou de uma entrevista coletiva na manhã de hoje na sede da Fiocruz.

 

Proveniente de Guiné, um dos países que sofrem com a epidemia, o paciente pediu privacidade e a preservação de sua imagem. Por isso, a Fiocruz não vai divulgar informações sobre horário e deslocamento do paciente, que pode ocorrer ainda hoje (14).

 

De acordo com os representantes da Fiocruz o paciente tomou conhecimento da repercussão do caso nas redes sociais, inclusive com comentários racistas e teme ser discriminado na volta para o lugar onde estava morando, no Paraná. “Ele ficou preocupado, na situação dele de refugiado isso gera uma preocupação grande”, contou Cerbino sobre o receio do paciente.

 

Segundo os vice-diretores do INI, José Cerbino Neto e Marília Santini, que trataram diretamente do caso, o paciente passa bem, mas apresenta alterações no exame de sangue que não apontam para nenhum quadro infeccioso. Como já está internado, os médicos vão aproveitar para realizar exames de imagem, tomografia e hemograma, cujos resultados não serão divulgados também em respeito à privacidade do paciente.

 

O paciente é um homem de 47 anos e está internado em um quarto comum no INI, desde a confirmação de que não tem ebola. Dois testes foram realizados no Instituto Evandro Chagas, no Pará, e ambos deram negativo. Segundo Cerbino, os testes são confiáveis e não é necessário recorrer a laboratórios no exterior.

 

Os médicos infectologistas elogiaram a atuação da unidade de atendimento de Cascavel, no Paraná, que identificou a suspeita de ebola e recomendou que todos os postos de saúde perguntem no primeiro contato se há febre e se a pessoa esteve em áreas de epidemia nos últimos dias.

 

“Se ela responder positivo para as duas perguntas já é classificada como suspeita de ebola é a contenção já deve ser iniciada ali, para evitar que tenha contato com outras pessoas e eventualmente contaminá-las”, disse Cerbino.

 

Fonte: Agência Brasil

Categoria: Em pauta
Tags: , ,
Comentar

BRASÍLIA RECEBE O FESTIVAL BRASILIDADE CULTURAL COM GRANDES NOMES DA MÚSICA

Zeca Pagodinho, Diogo Nogueira, Renato Teixeira e Sérgio Reis, Falamansa, Rick e Renner e O Teatro Mágico estão na programação da primeira edição do evento

Brasília será palco da primeira edição do Festival Brasilidade Cultural, que receberá artistas consagrados da música brasileira como os sambistas Zeca Pagodinho e Diogo Nogueira; os sertanejos Renato Teixeira e Sérgio Reis e a dupla Rick e Renner; o grupo de forró Falamansa e os músicos circenses do Teatro Mágico.

 

Os espetáculos serão divididos em dois espaços na área externa do Ginásio Nilson Nelson, palco Brasilidade Cultural e palco Regional Brasileiro, onde cada um receberá quatro apresentações por noite. O projeto busca integrar e difundir os gêneros musicais da cultura brasileira.

 

O festival conta com o patrocínio da Petrobras, Caixa Econômica Federal, realização do Instituto Brasil Social – IBS e parceria com o jornal Correio Braziliense.

 

Confira a programação completa:

 

Palco Brasilidade Cultural

 

Dia 17 de outubro (sexta-feira)

 

Os Festivaleiros (cantando os 50 anos de história dos festivais no Brasil)

Zeca Pagodinho

Falamansa

Rick e Renner

 

Dia 18 de outubro (sábado)

 

Renato Teixeira e Sérgio Reis (Espetáculo Amizade Sincera II)

Diogo Nogueira

O Teatro Mágico

Dhi Ribeiro

 

Festival Brasilidade Cultural

 

Local: Estacionamento do Ginásio Nilson Nelson

Horários: Dias 17 e 18 de outubro, a partir das 21 horas

Classificação indicativa: 16 anos (pista) e 18 anos (camarote e mesas)

 

Informações e comercialização de ingressos: (61) 9941.4355 / 8228.0613 / 8151.5211 – Vendas pela www.bilheteriadigital.com / Loja Bilheteria Digital no Patio Brasil Shopping / Favoritta Moda no Taguatinga Norte Jk Shopping / Rede Dos Cosméticos na 306 Norte / Pump Suplementos na 406/7 Norte / Rede Dos Cosméticos – Gaurá 1 / Ingresso Em Todo Lugar Tele Entrega: (61) 3468-1820 e 8415-1136 / Divas Shoes no Sobradinho Shopping /

 

Fonte: Divirta-se mais/ Correio Braziliense

Categoria: Fique de Olho
Tags: , , , ,
Comentar

FREUD: A FORMALIZAÇÃO DE UM SABER QUE TORNA PROBLEMÁTICA QUALQUER VERDADE

Por prof. Fábio Liborio Rocha

 

Pensamos que a rejeição que alguns teóricos têm de Freud, ocorre por causa da máscara indicada no seminário 17 de Lacan, onde estes críticos insistem em tentar representar uma fantasia pacificadora do sujeito, para esconder sua enorme atividade pulsional reprimida, uma vida repleta de candura onírica, citadas no Seminário 20 (Mais, Ainda, p.15), de Lacan.

 

Mas sabedores da parte fisiológica do Ser, onde importantes hormônios influenciam nossos atos e pensamentos, devemos ter cautela para não provocar o temido mal estar na cultura, que Freud se preocupava tanto. Por isso saudamos a psicomotricidade do Raman-Thiers, onde podemos observar os fantasmas oníricos de carne e osso, sempre que podemos de nosso “cachimbo freudiano”, e o andar dos faunos e das erínias em nossa frente, com o sedutor perfume de sândalo. Oh… caro Lacan, como é preciosa a certeza epistemológica do nível Real não santificado. Todavia o desejo no sujeito é único e se emancipou como sujeito narcísico, sujeito como tal. Este o é, em sua própria lei, em sua ausência de lei.

 

Nosso minicurso propõe Lacan em sentido ontológico a tarefa antifilosófica de romper com o domínio freudiano da palavra sobre a mente humana ao investigar os enganos linguísticos do sujeito. Ocorre então uma diferenciação entre o desejo de Lacan e o desejo de Freud que aquele assumiu como sujeito de linguagem a partir de seus conceitos de inconsciente.

 

Em Lacan, o desejo do outro pode também ser crível e sabê-lo por mim. Assim, o desejo do homem, é o desejo do Outro. Com efeito, o amor, será o amor do Outro em eterno devir porque segundo Lacan o amor sempre faz signos recíprocos. Para designar esse deslocamento do conhecimento do desejo para Freud, Lacan cunhou a linguagem do nome do pai inconsciente, a porta de entrada de sua antifilosofia. O sujeito revela a sua verdade sobre o amor, qual não pode se dizer “por inteira”, só poderá se meia-verdade, meio-dita, semi-dizer, sendo assim a única verdade mediada. Fenômeno que acontece com todo ser, pois temendo o erro de Descartes, tomamos nossas preocupações epistemológicas, revela um “sujeito suposto saber”.

 

Assim, concluímos que o desejo é, em suma, a sua própria interpretação, em si, na fala do outro e por esta razão o amor se encontra como um signo somado ao corpo que o simboliza. Assim mesmo amigos, uma cerca aberta ou semi-dizer: o Amor visa o Ser, mas consegue escapar justamente porque não queria Ser. No Édipo também há desejo, mas não há sentido como podemos entrever em Freud. O Édipo se encontrava freudiano, no momento em que Lacan engendra uma hermenêutica do conflito edipiano deliberando atrair pura e simplesmente o amor do mais potente, quer dizer, do pai. O sujeito esquiva-se tanto mais quanto o seu narcisismo se encontra aí ameaçado, na medida em que recebendo este amor de pai surge para ele uma castração. Foi dessa forma que Lacan difere de Freud ainda em sua obra A Interpretação dos Sonhos, vol – I, de Freud quando inferiu sobre os desejos. Será que e foi este o motivo da rejeição a Freud? Mas esta conversa deixaremos para o próximo Post neste blog. Muitas saudades,

 

Sobre o autor:

 

Prof. Fábio Liborio é pós-doutorando em Psicologia na UNB com o tema: “Verdade e gozo na antifilosofia de Jacques Lacan”. Sou graduado em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000), mestre em Filosofia com subárea em Ética pela UGF (2003) e doutor em História, pela Universidade Federal do Paraná (2009). Responsável pela disciplina de Ética e Filosofia em Psicologia (UDF), e Bioética (Ciências Biológicas) e Filosofia do Direito (UDF). Fui professor no Dptº de História da UNB. Ministro aulas no seminário de Psicanálise como estágio obrigatório na pós-graduação de Psicologia na UNB.

Categoria: Retrato
Tags: , , , ,
1 Comentário
Termo de Uso de Conteúdo –

Nós permitimos e incentivamos a reprodução do conteúdo deste blog, desde que as condições determinadas abaixo sejam respeitadas.
Qualquer utilização que não respeite este Termo será considerada violação de propriedade intelectual e estará sujeita à todas as sanções legais.
Você pode copiar, distribuir e exibir o conteúdo, sob as seguintes condições:


Atribuição

Você deve dar crédito ao autor original sempre que o conteúdo possuir autoria. Veja o exemplo abaixo.
Por: (inserir o nome do autor)


Origem


A fonte deve ser citada da seguinte forma: Fonte: UDF.Blog (com o  link http://blog.udf.edu.br/)


Utilização do conteúdo


É vedada a criação de obras derivadas do conteúdo do UDF.Blog.
Você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.
Você não pode utilizar o conteúdo para finalidades comerciais ou publicitárias.


Política de Privacidade


Todas as informações fornecidas por você serão utilizadas para sua identificação.
Seus dados não serão vendidos ou compartilhados com terceiros sem sua prévia autorização.
Caso tenha solicitado, usaremos seus dados para mantê-lo informado sobre serviços, novidades e benefícios. Você sempre terá a opção de cancelar o recebimento de tais mensagens.


Condições gerais para os comentários


Buscando manter um relacionamento mais próximo e oferecer a possibilidade de participação dos usuários em nossos conteúdos, comentários são permitidos e bem-vindos em nosso blog.
Eles estão sujeitos a aprovação e serão publicados sempre que de acordo com as seguintes condições:

Os conteúdos dos comentários publicados são de responsabilidade dos usuários, não tendo nenhuma interferência ou opinião do UDF Centro Universitário.