2.193

RECOMEÇO

Compreendo muito bem que esse texto pode despertar vários tipos de pensamentos e sentimentos. Se você sofre de depressão, isso não tem o objetivo de te forçar a ver a vida de uma forma linda, perfeita e sem falhas, o objetivo é clarificar que a vida é feita de várias escolhas, recomeçar faz parte de uma delas. Se você sofre de ansiedade, também não significa que você tem de tomar uma decisão logo de cara, ou que você tem de largar tudo, ou que você TEM de tomar uma decisão… Às vezes, precisamos desencanar um pouco de tantas escolhas que a vida nos dá e deixar que as coisas fluam, então tentem tirar o melhor do texto para vocês, é apenas uma das várias formas de se enxergar o mundo.
Quem nunca se pegou diante de uma situação onde se pensa em um recomeço? Diariamente nos vemos diante de escolhas a serem feitas, decisões a serem tomadas, o peso dessas situações nos coloca diante de extrema hesitação, e o mais frustrante é o quão recorrente é esse evento em nossas vidas, seja um relacionamento amoroso, seja um relacionamento familiar, seja em círculos sociais, no trabalho ou uma escolha na vida acadêmica.
O recomeço é algo que nos aflige. Às vezes, nos vemos tão envolvidos com projetos, planejamentos e/ou relações, porém em algum momento da nossa vida, é muito provável que passemos por uma situação, uma crise, onde ou se recomeça ou se mantém preso àquele acontecimento, naquele projeto, naquela relação. Nesse caso, nos encontramos diante de situações que simplesmente não avançam, seja um emprego em que não temos resultados, seja numa vida acadêmica em que não conseguimos contornar, seja em escolhas pós vida acadêmica, seja em um relacionamento que não acaba e também não vai pra frente.
Nessas horas é importante principalmente tomar consciência da nossa situação, claro que não vamos jogar tudo para o alto e agir como se nada importasse, mas em fato vamos nos colocar num momento reflexivo, analisar quais as possibilidades, analisar há quanto tempo estamos presos naquilo, refletir sobre os aspectos da nossa vida e por último, optar por um recomeço. Eu sei, eu sei que parece assustador e na verdade é mesmo, e sabe por quê? Porque estamos nos colocando numa quebra de paradigma, estamos forçando nossa saída da nossa zona de conforto. “Mas como assim zona de conforto, você tá maluco? Como que você pode chamar uma situação dessas de confortável?!”.
Quando digo zona de conforto, quero dizer que você está em uma situação que já está habituada(o), ou seja, às vezes, você já está acostumada(o) com aquela vivência e por já conhecer, já saber como isso ou aquilo funciona ou como aquela pessoa se comporta, você tem mais segurança em lidar com ela, e a parte amedrontadora em sair da zona de conforto é o medo do desconhecido. Nós, seres humanos, temos muito medo do desconhecido, ao mesmo tempo em que deslumbramos ele, nos vemos com um extremo receio, pois não sabemos como será o impacto que ele terá sobre nossas vidas, afinal, ele vai nos ajudar ou vai nos deixar em uma situação pior da que estamos?
Ir de fronte ao desconhecido é como uma aventura, a amamos e odiamos e o melhor de uma aventura sabe qual é? É o momento de contá-la, nos vemos sempre diante de situações desesperadoras, porém quando elas passam, amamos ficar contando nossos contos heróicos desbravadores, afinal, é uma prova da nossa coragem, uma marca de que somos humanos. Mas eu compreendo, sabe qual o momento mais difícil de uma aventura? O primeiro passo. Ele sim é algo que dá medo, é o momento em que tomamos nossa decisão, com ela podemos não alcançar nossas metas, mas também podemos algum dia alcançar. Mas o real problema é que nós nos vemos sempre diante do pensamento equivocado de que temos apenas uma oportunidade em toda a nossa vida, mas será que é isso mesmo? Eu acredito que não, eu acredito que a sociedade nos empurra para sempre tomarmos decisões rápidas e produtivas, em prol de uma “vida de sucesso”, mas o que é isso? O que é sucesso? Eu imagino que sucesso seja felicidade, só pode ser isso e felicidade só você pode determinar o que é para você.
A sociedade nos diz que temos um lance ao gol, uma flecha, e isso nos frustra, nos coloca diante de uma parede enorme… Ela nos faz pensar que temos de quebrá-la, mas o que a sociedade não te diz, é que na verdade, ela quer que você seja mais um tijolo naquela parede, fortalecendo-a, tornando-a maior, ela nos ensina a viver do jeito errado, porém o mundo que nos recebe quer que nós aprendamos a viver do jeito certo, do jeito que nos satisfaz, que nos torna feliz (ressalto que felicidade é subjetiva, então você determina o que isso significa para você), a vida é cheia de flechas, podemos sempre mirar de novo e lançar outra flecha, ou podemos escolher outro alvo, o que nos frustra de verdade não é errar o alvo, é não conseguir viver de acordo com as expectativas e realmente não dá, então nem tente. Não tenha medo de recomeçar, sejam relacionamentos ou projetos, não tenha medo de não ser ou ter o que planejou só porque você começou aquilo e tem medo de não ir até o final, as vezes temos que ir, as vezes não, você vai sentir no seu coração o que deseja fazer nessa situação e acho que para entender o que o seu coração está dizendo, é preciso ser honesto com ele, então, seja novo, seja velho, a vida existe para ser vivida, para ser experimentada, se permita viver, tome consciência de si mesmo, respeite seus sentimentos.

 

Lavoisier já disse: “Na Natureza nada se cria e nada se perde, tudo se transforma”. Mesmo que você ache que recomeçar é admitir que falhou, que perdeu algo, não é, tudo serve de experiência para você, recomeçar também é viver.

 

Angelita Aparecida F de Souza – 8° semestre

Jader Silva Tabosa – 7° semestre

Wellinton Luiz de Souza – 7° semestre

Orientadora: Roberta Ladislau Leonardo

Categoria: Retrato
Tags: , , ,
Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Termo de Uso de Conteúdo –

Nós permitimos e incentivamos a reprodução do conteúdo deste blog, desde que as condições determinadas abaixo sejam respeitadas.
Qualquer utilização que não respeite este Termo será considerada violação de propriedade intelectual e estará sujeita à todas as sanções legais.
Você pode copiar, distribuir e exibir o conteúdo, sob as seguintes condições:


Atribuição

Você deve dar crédito ao autor original sempre que o conteúdo possuir autoria. Veja o exemplo abaixo.
Por: (inserir o nome do autor)


Origem


A fonte deve ser citada da seguinte forma: Fonte: UDF.Blog (com o  link http://blog.udf.edu.br/)


Utilização do conteúdo


É vedada a criação de obras derivadas do conteúdo do UDF.Blog.
Você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.
Você não pode utilizar o conteúdo para finalidades comerciais ou publicitárias.


Política de Privacidade


Todas as informações fornecidas por você serão utilizadas para sua identificação.
Seus dados não serão vendidos ou compartilhados com terceiros sem sua prévia autorização.
Caso tenha solicitado, usaremos seus dados para mantê-lo informado sobre serviços, novidades e benefícios. Você sempre terá a opção de cancelar o recebimento de tais mensagens.


Condições gerais para os comentários


Buscando manter um relacionamento mais próximo e oferecer a possibilidade de participação dos usuários em nossos conteúdos, comentários são permitidos e bem-vindos em nosso blog.
Eles estão sujeitos a aprovação e serão publicados sempre que de acordo com as seguintes condições:

Os conteúdos dos comentários publicados são de responsabilidade dos usuários, não tendo nenhuma interferência ou opinião do UDF Centro Universitário.