NO DF, 4G É ATÉ NOVE VEZES MAIS RÁPIDA, MAS NÃO HÁ REDE NO AEROPORTO

Testes foram feitos sábado (27) com aparelhos e chips cedidos pela Claro. G1 avaliou serviço da nova tecnologia em quatro pontos da capital federal.

Raquel Morais Do G1 DF (Íntegra)

 

A quarta geração de banda larga móvel (4G), lançada no Distrito Federal pela Claro no dia 16 de abril, apresentou rendimento superior ao da rede 3G, com velocidade de download até nove vezes maior, segundo teste realizado pelo G1 no sábado (27) em quatro pontos da capital. A avaliação foi feita no Aeroporto Juscelino Kubitschek, nos arredores do Estádio Nacional, no Congresso Nacional e no Setor Hoteleiro Norte.

 

A nova conexão passou a ser exigida na terça-feira (30) em Brasília e em mais cinco cidades que serão sede da Copa das Confederações: Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte.

 

Os testes consideraram o desempenho das redes no upload de fotos no Facebook, envio da imagem por email e download de aplicativos. A proposta previa ainda o uso do YouTube, que não aconteceu por problemas nos aparelhos utilizados na avaliação.

 

As operações foram realizadas com smartphones do modelo Samsung Galaxy S III – um dos cinco que possuem acesso à banda larga móvel de quarta geração – e com chips cedidos pela Claro.

 

O G1 não conseguiu captar o sinal do 4G na área de desembarque doméstico, no piso térreo, nem em frente aos portões de embarque nacional, no primeiro andar, do Aeroporto JK.

 

Confira os resultados:

 

SpeedTest (Foto: Reprodução)

 

Velocidade
Foram realizados três testes sequenciais de velocidade no Congresso, por meio do aplicativo SpeedTest, que apontaram velocidade média, nas redes 4G, de 9,2 megabits por segundo (Mbps) no download e de 11,15 Mbps no upload. No 3G os índices ficaram em 2,129 Mbps e 1,569 Mbps, respectivamente.

 

A velocidade média da rede 4G na região dos hotéis foi de 6,93 Mbps no download e de 9,58 Mbps no upload, contra 2,338 Mbps e 1,596 Mbps, respectivamente, no 3G.

 

Já no Estádio Nacional, a velocidade média nas redes 4G foi de 13,89 Mbps no download e de 5,79 Mbps no upload. No 3G, os índices no estádio foram de 1,359 Mbps e 1,403 Mbps.

 

Facebook
No Congresso, o tempo de publicação de foto recém-tirada no local foi 3 segundos via rede 4G, contra 8 segundos na 3G. No Setor Hoteleiro Norte, foram precisos 4 segundos com a rede 4G, menos do que os 6 segundos utilizando o 3G. No estádio, a nova tecnologia de conexão garantiu o cumprimento da tarefa em 3 segundos, contra os 8 segundos usando 3G.

 

E-mail
O tempo no Congresso para enviar uma foto por e-mail com a conexão 4G foi de 2 segundos, contra 5 segundos com a rede 3G. Na área dos hotéis, os tempos com 4G e 3G foram, respectivamente, de 6 e 7 segundos. Já no estádio, a tarefa utilizando a rede 4G foi cumprida em 5 segundos, maior que os 4 segundos gastos com o 3G.

 

 

Game
Para fazer o download do game “Dead Trigger”, que tem 164 Megabytes (MB) de tamanho, foram necessários 3 minutos e 15 segundos com a tecnologia 4G no Congresso, tempo bem inferior aos 6 minutos e 13 segundos gastos com o 3G. No Setor Hoteleiro Norte, o teste levou 3 minutos e 6 segundos com a tecnologia 4G e 7 minutos e 2 segundos com o 3G. No Estádio Nacional, o jogo levou 3 minutos e 18 segundos para ser baixado com 4G, contra 20 minutos e 56 segundos com 3G – mais de 6 vezes que o registrado com a nova tecnologia.

 

Tabela comparativa:

 

 

‘Ainda está em construção’
Segundo especialistas em telecomunicações, o 4G deve alcançar, em média, uma velocidade de acesso entre 20 e 40 vezes mais rápida do que a oferecida pela rede 3G – entre 256 kilobits por segundo (Kbps) e 1 megabit por segundo (Mbps).

 

A diretora regional da Claro no Centro-Oeste, Soraia Tupinambá, disse que desde o lançamento da tecnologia em Recife, no começo de fevereiro, cinco mil brasileiros já aderiram à nova plataforma.

 

Ainda sem um balanço das vendas no DF, Soraia afirmou que a tecnologia foi implantada em 90% do Plano Piloto e abrange 50% – mínimo exigido pela Anatel – nas outras regiões administrativas. A diretora também alertou para o fato de o 4G ainda não estar funcionando totalmente no interior do aeroporto, fato constatado durante o teste pelo G1. As operadoras e a Infraero chegaram a um acordo na última semana sobre a construção das antenas nos terminais.

 

A cobertura ainda está em construção. O que se pode dizer é que é um serviço com qualidade superior a que se tem em casa. É muito mais do que o que se tem por wi-fi [conexão sem fio], que nos melhores pacotes chega a 10 megabytes”

 

Soraia Tupinambá, diretora da Claro no Centro-Oeste

 

“A cobertura ainda está em construção. O que se pode dizer é que é um serviço com qualidade superior a que se tem em casa. É muito mais do que o que se tem por wi-fi [conexão sem fio], que nos melhores pacotes chega a 10 megabytes”, disse. “A gente quer oferecer aos usuários a melhor experiência de acesso móvel à internet.”

 

De acordo com Soraia, já no pacote mais barato, o 4G atende às necessidades de quem diariamente utiliza o celular para acessar redes sociais e o YouTube, usar email e fazer downloads de músicas.

 

“Também é ideal para quem é aficcionado por tecnologia, novidade, rapidez. Isso não significa que o 3G seja insuficiente. Na verdade, a qualidade dele tende a melhorar, já que a adesão de uns à outra plataforma vai acabar fazendo com que esse terminal desafogue.”

 

A estudante de direito Jéssica D’avilla disse estar curiosa para conhecer a tecnologia. Para ela, que trocou de operadora recentemente, depois de ter o iPhone furtado seis dias após a compra, o 3G da Claro já supria as necessidades.

 

“Ele é muito bom, ainda mais em comparação com outros 3G do mercado, que é o que tenho agora.” A adesão à outra empresa ocorreu pelo desconto oferecido na compra de um novo aparelho.

 

Os pacotes do 4G disponibilizados pela Claro possuem franquia de 2 gigabytes (GB) ou 5 GB, com preços a partir de R$ 178. Em todos, torpedos e ligações para números da Claro são ilimitados. Eles variam até R$ 351, dependendo da quantidade de minutos de voz escolhida. Já no caso do 3G, os pacotes têm franquia de 300 megabytes (MB) ou 600 MB, com taxas entre R$ 128 e R$ 301.

Categoria: Em pauta
Tags: , , , , , , , ,
Comentar

AINDA FALTA INFRAESTRUTURA PARA AS REDES 3G E 4G DA TELEFONIA MÓVEL

Bruno Bocchini – Agência Brasil 30.04.2013 – 20h22 | Atualizado em 30.04.2013 – 20h28

 

São Paulo – O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse hoje (30) que ainda falta infraestrutura no país para as redes de terceira e quarta geração da telefonia móvel (3G e 4G) funcionarem adequadamente. De acordo com Bernardo, o número de usuários do 3G cresceu 70% em 2012.

 

O ministro ressaltou que os clientes deverão migrar para o 4G em razão dos problemas atuais da transmissão em 3G (Ministério TIC Colômbia)

 

“Nós estamos precisando de mais infraestrutura para o 3G. Isso, muitas vezes, esbarra no problema das antenas. Por isso que nós temos feito um trabalho para conseguir melhorar as legislações municipais para dar qualidade melhor”, disse, após participar do lançamento da rede 4G do grupo Telefônica Vivo, em São Paulo.

 

O ministro ressaltou que os clientes deverão migrar para o 4G em razão dos problemas atuais da transmissão em 3G. “O que vai levar o cliente para o 4G é que, de fato, o 3G está sobrecarregado, deficiente. [O 4G] vai ter uma demanda constante, os aparelhos estão barateando. Mas nós precisamos de infraestrutura”, disse.

 

Perguntado se a rede 4G não irá sofrer com as mesmas deficiências da 3G, Bernardo declarou que “houve descuido, talvez das autoridades, com certeza das empresas” com o crescimento do uso do 3G, o que levou à diminuição da qualidade do serviço. Mas agora a fiscalização é maior. “Estamos cobrando, estamos batendo duro nas empresas, não temos afrouxado, é uma tecnologia que com certeza vai ser usada por muitos anos”, ressaltou.

 

O ministro disse ainda que o país deverá ter até o final deste anos cerca de 4 milhões de usuários da rede 4G. “Todas as projeções que eu ouvi até agora são muito conservadoras. A Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações] fala em 4 milhões de usuários de 4G até o final do ano. Eu vou apostar um jantar com o João Rezende [presidente da Anatel] que vai ter mais”.

 

Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC na rede

Categoria: Acontece
Tags: , , , ,
Comentar
Termo de Uso de Conteúdo –

Nós permitimos e incentivamos a reprodução do conteúdo deste blog, desde que as condições determinadas abaixo sejam respeitadas.
Qualquer utilização que não respeite este Termo será considerada violação de propriedade intelectual e estará sujeita à todas as sanções legais.
Você pode copiar, distribuir e exibir o conteúdo, sob as seguintes condições:


Atribuição

Você deve dar crédito ao autor original sempre que o conteúdo possuir autoria. Veja o exemplo abaixo.
Por: (inserir o nome do autor)


Origem


A fonte deve ser citada da seguinte forma: Fonte: UDF.Blog (com o  link http://blog.udf.edu.br/)


Utilização do conteúdo


É vedada a criação de obras derivadas do conteúdo do UDF.Blog.
Você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.
Você não pode utilizar o conteúdo para finalidades comerciais ou publicitárias.


Política de Privacidade


Todas as informações fornecidas por você serão utilizadas para sua identificação.
Seus dados não serão vendidos ou compartilhados com terceiros sem sua prévia autorização.
Caso tenha solicitado, usaremos seus dados para mantê-lo informado sobre serviços, novidades e benefícios. Você sempre terá a opção de cancelar o recebimento de tais mensagens.


Condições gerais para os comentários


Buscando manter um relacionamento mais próximo e oferecer a possibilidade de participação dos usuários em nossos conteúdos, comentários são permitidos e bem-vindos em nosso blog.
Eles estão sujeitos a aprovação e serão publicados sempre que de acordo com as seguintes condições:

Os conteúdos dos comentários publicados são de responsabilidade dos usuários, não tendo nenhuma interferência ou opinião do UDF Centro Universitário.