LINHAS PERFEITAS

Postado por

Marcelo Paes Barros

Mais posts
em 06/mai/2013 - 9 Comentários

Introdução: Prezados amigos,

Frente ao retorno positivo das matérias sobre os Pecados Capitais (se não leu, recomendo), resolvi escrever mais uma sequência de 4 matérias atreladas a um mesmo tema. Desta vez, decidi abordar as leis naturais (ou ciências) que regem a atração física, o amor e o sexo. Essa primeira matéria tratará do poder da simetria para a definição da beleza. Por isso, chamei esse texto de “Linhas perfeitas”. Aguardem as próximas matérias. Garanto que serão bombásticas! Será que tamanho é documento? Qual é o poder da linguagem corporal (body language) para a sedução? Como disfarçar nossas imperfeições? Próteses, enchimentos, maquiagem…

Afinal, o que é beleza? Harmonia de traços, proporções perfeitas e, principalmente, simetria podem ser apontados como os principais fatores que inconscientemente nos sugere que alguém é belo(a). A base instintiva dessa percepção é a busca natural e involuntária pelos melhores genes que um(a) parceiro(a) poderia oferecer, no intuito de gerar uma prole mais saudável e vindoura. Mesmo que esse comportamento biológico esteja incrustrado em nosso centro reptiliano (instintivo, portanto), a espécie humana é capaz de subjugar esse ímpeto e, por motivos sócioculturais, religiosos, etc., podemos optar por parceiros(as) menos atraentes. Mas não se engane: esse ímpeto SEMPRE estará lá, silencioso ou não.

A constituição/proporção corporal é um importante fator relacionado à atração humana. Instintivamente, os homens buscam avidamente os sinais de fertilidade feminina. Assim sendo, seios fartos e quadris largos são “objetos” do desejo masculino (calma, feministas! rs). Este conceito é de notório conhecimento geral, basta observar a constituição dos corpos femininos à amostra nos programas de Domingo na TV aberta. Por outro lado, as mulheres sentem mais atração física instintiva por corpos masculinos em formato “T”, ou seja, ombros largos, tóraxes mais avantajados e quadris mais estreitos. Mas, afinal, qual é a mensagem fisiológica sugerida por esse comportamento instintivo? Os níveis hormonais! Seios fartos e quadris largos são respostas morfológicas da ação de progesterona e estrogênio, hormônios relacionados à maturação sexual feminina. Estes hormônios feminilizantes, assim, seriam um sinal implícito da excelente progenitora ali presente. Pelo mesmo motivo, mulheres demonstram maior aversão ao formato “pera” em homens, por sugerir níveis mais elevados desses hormônios feminilizantes em homens. Por outro lado, um desenvolvimento ósseo-muscular mais pronunciado em homens é um sinal da maior ação da testosterona, o que sugestivamente garantiria maior virilidade (para conferir proteção à mulher e a sua prole), fertilidade e, portanto, um bom conjunto de genes para seus rebentos.

Contudo, os seres humanos – e apenas algumas outras poucas espécies animais – transmitem importantes mensagens através de suas expressões faciais. Assim sendo, as linhas faciais indubitavelmente representam fatores chave na atração sexual.

Um dos principais grupos de estudos sobre atração humana e proporções faciais é liderado pela Dra. Lisa DeBruin, da Universidade de Abredeen, Escócia. Excelente pesquisadora, com inúmeros trabalhos publicados, a Dra. DeBruin dispõe de um software capaz de modificar ligeiramente as proporções de rostos reais masculinos e femininos para sutilmente alterar sinais faciais que indicariam idade, masculinidade, feminilidade, etc. Com seus modelos modificados, a Dra. DeBruin pôde realizar uma série de testes de atração física pesquisando principalmente jovens e adultos em fase reprodutiva (dos 20 aos 40 anos, principalmente). Deste modo, a equipe escocesa foi capaz, por exemplo, de identificar as proporções ditas perfeitas para o rosto feminino, ou seja, aquelas que dispertaram maior atração em jovens do sexo masculino. As distâncias entre a linha média dos olhos e a boca e a distância entre os olhos são os principais fatores que ditam a atração masculina por rostos femininos (Figura 1; Linha superior: maior atração masculina para proporção 0.36; Linha inferior: maior atração masculina para proporção 0.46).

Figura 1 – Imagens simuladas com variação das proporções faciais de um rosto feminino real. Linha superior: alterações na distância olhos-boca; Linha inferior: alterações na distância entre olhos.

A simetria e proporção facial parece ser mesmo um fator determinante para a caracterização da beleza. Considerando profissionais que vivem da beleza e da sua apresentação física, alguns detalhes podem fazer uma grande diferença. Uma das atrizes mais reconhecidas em Hollywood por seu talento e beleza estonteante (confesso, fico hipnotizado com ela, rs) é Anne Hathaway, atriz de vários filmes entre eles “Diário de uma Princesa”, “O Diabo veste Prada” e “Les Miserábles”, foi sutilmente orientada por uma equipe de personal stylists a sorrir menos intensamente nas fotos e entrevistas, frente ao tamanho de sua boca! Em risadas abertas, perdia-se a proporção auréa de sua beleza!

Em termos de feições (traços faciais), novamente a mensagem implícita dos hormônios esteroides se faz presente. Simetria facial sugere ausência de anomalias genéticas e boa nutrição durante o desenvolvimento, lábios femininos mais vivos (cor, volume e textura) sugerem maiores níveis de progesterona/estrógeno e, portanto, maior fertilidade feminina. Mandíbulas mais vigorosas sugerem maiores níveis de testosterona em homens. Assim sendo, gostaria de lançar aqui um teste para as(os) leitoras(es), sem preconceito: na figura abaixo, indique, em 15 segundos, qual rosto masculino é o mais atraente?

Minha informação, obviamente, não deverá surpreendê-los: todos os rostos são de um mesmo rapaz. Mas, de um modo geral, o maior número de respostas (sinceras!) deve ter sido para os rostos da linha debaixo (linha 2). Esses rostos foram alterados para se tornarem 50% mais masculinizados pela mudança sutil na largura da mandíbula, nos ossos faciais, etc! Os rostos a1 e a2 tinham como variável os componentes típicos e característicos da fase adulta feminina e masculina (compare as sobrancelhas de a1 e a2). Em b1 e b2, níveis de testosterona eram mais evidenciados na linha debaixo (barba em b2). Em c1 e c2 a diferença era simplesmente a idade. Os maiores escores colhidos entre 45 moças escocesas com média de 26 anos foram para b2 e c2.

Neste momento, é possível que você, caro leitor(a), esteja relativamente deprimido(a) ao concluir que a Natureza não foi benevolente consigo. Há uma lei/regra implícita na essência humana e por uma não tão prodigiosa combinação de genes, você não se enquadra nela: é o seu fim… Será? Felizmente, não! Nas próximas matérias discutiremos como uma boa mensagem corporal, ou um jogo de cintura sensual, ou uma postura mais ereta podem ludibriar o rigor das proporções gregas. Isso sem mencionar o inegável poder das artimanhas da maquiagem e outros “segredos” da Estética!

Um abraço

Ah, ainda em tempo: no final de Maio/2013 (após provas), estaremos ministrando um curso de Extensão (32 h) com especialistas e pesquisadores sobre Ciências do Relacionamento e Atração Humana. Falaremos sobre comportamento humano/animal, neuroquímica, etc. Vejam mais informações sobre o curso em “Liberdade: Ciências do Relacionamento e Atração Humana” clicando aqui

Aguardem!

Coordenador de Estética e Cosmética na Hair Brasil 2013.

Postado por

Universidade Cruzeiro do SulSeja Bem-vindo ao Blog da Extensão da Cruzeiro do Sul.

Mais posts
em 26/mar/2013 - Sem Comentários

O Prof. Carlos Oristanio, coordenador do curso de Estética e Cosmética da Cruzeiro do Sul, será o palestrante do 12º Workshop Hair Brasil, evento realizado simultaneamente a HAIR BRASIL – 12ª Feira Internacional de Beleza, Cabelos e Estética, que acontecerá de 06 a 09 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A palestra será ministrada no dia 06 de abril, das 17h às 19h30, e discutirá a constituição legal e administração aplicada a empresas de beleza, além de algumas sugestões de trabalhos nas empresas desse segmento.

No evento, os alunos do curso de Estética e Cosmética marcarão presença para aprimorar conhecimentos e conhecer as últimas tendências do mercado de beleza.

HAIR BRASIL – 11ª Feira Internacional de Beleza, Cabelos e Estética
Data: 06 a 09 de abril de 2013

Para inscrições e informações acesse aqui o site da Hair Brasil

Horário: das 10h às 20 horas
Local: Pavilhões do Expo Center Norte.
Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo Perfil do evento: Feira comercial para negócios, lançamentos de produtos, equipamentos e serviços para os setores de cabelos, beleza e estética

Sobre o palestrante
Carlos Oristanio é administrador, palestrante e professor em gestão empresarial, coordenador do curso Estética e Cosmética da Universidade Cruzeiro do Sul – SP.

O Império da Magreza

Postado por

Marcelo Paes Barros

Mais posts
em 07/out/2011 - 5 Comentários

Como diz a canção, o Brasil é um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza. Essa beleza, indubitavelmente, se estende a suas mulheres, consideradas as mais belas e sensuais do mundo. Graças à herança africana e a uma harmoniosa miscigenação com genes caucasiano-europeus, as brasileiras são geneticamente favorecidas por curvas pronunciadas, nas quais “gringos” e brasileiros se perdem em admiração.

Contudo, em função de uma forte pressão estética importada de países de exposição física bem menos intensa, um verdadeiro Império da Magreza vem dominando nossa terra brasilis já há algumas décadas. Modelos praticamente anoréxicas representam, hoje, o padrão de beleza para mulheres adultas e, mais preocupante ainda, para adolescentes inseguras e crianças. Brasileiras voluptuosas por natureza vêm diminuindo medidas através de dietas nazistas, operações cirurgicas arriscadas e “tratamentos” estéticos de comprovação científica e segurança duvidosas. Isso tem afetado as mulheres brasileiras no âmago de seu ser: fisicamente e psicologicamente (auto-estima, depressão, etc). Contudo, os mamíferos – incluindo o ser humano – evoluíram durante milhões de anos para acumular reservas enérgicas na forma de gordura no tecido adiposo espalhado por pontos estratégicos do corpo, já que também fornecem proteção mecânica e isolamento térmico contra o frio. De maneira ainda mais dramática, são impressionantes os mecanismos metabólicos pelos quais o corpo humano reluta em perder estas reservas, afetando, inclusive, o humor, a agressividade e o bem-estar das pessoas! Como disse uma famosa personalidade global (prefiro não citar nomes): “Existem dois tipos de mulheres no Brasil: as felizes e as magras”.

Gostaria de lembrar aos queridos leitores(as) que esse Império da Magreza é extremamente recente, uma questão de menos de meio século. Nos primórdios da história da civilização humana, uma mulher era desejada por sua opulência, ou seja, pela percepção de sua fertilidade e da sua capacidade de fornecer uma prole mais saudável. Tal fato pode ser simbolizado pela Vênus de Willendorf (foto ao lado), estatueta de cálcario datada de 24.000 A.C. e descoberta em 1908 pelo arqueologista Josef Szombathy, na Áustria (atualmente exposta no Naturhistorisches Museum, em Viena, Áustria).

E digo mais, não precisamos ir até a pré-história para ilustrar como foi rápida (em contextos históricos) essa mudança da percepção corporal das pessoas. Até a primeira metade do século XX, meados dos anos 30 a 50, a magreza era um claro sinal de pobreza e principalmente as mulheres lutavam para ganhar peso e corpo! Ainda em uma estrutura fortemente patriarcal, a mulher era a dona-de-casa-faz-tudo que gastava milhares de calorias diárias nas tarefas domésticas. Foi a grande época dos almanaques de sáude, geralmente patrocinados por indústrias farmacêuticas de tônicos e fortificantes (também de validação científica duvidosa). Renomados eram o Almanaque Capivarol e o Almanaque Fontoura, os quais prometiam imediato aumento do apetite e ganho de peso (exatamente o contrário do que os produtos atuais prometem!).

Contudo, respeitando a periodicidade das vertentes do comportamento humano e das tendências da moda na história da civilização humana, um novo padrão feminino de beleza vem surgindo com grande força neste século XXI: a vigorexia! Novas beldades têm surgindo na mídia e, em um contexto geral, apresentam novamente a opulência do passado como ponto marcante. Só que esta opulência não se caracteriza agora pelos depósitos de gordura mas, sim, pelos músculos desenvolvidos, gomos abdominais e ar de dominância conqusitados com muitas horas na academia e alguns galões de hormônios esteróides anabolizantes. Um programa dominical noturno deixa isso bem claro em suas transmissões! Embora essa alternância de tendências seja um fenômeno comum e previsível do comportamento humano, o que mais assusta atualmente é a velocidade com que as pessoas querem mudar estes estereótipos. De ontem para hoje, de preferência…

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS