EDITORAS INVESTEM EM HISTÓRIAS QUE EXPANDEM UNIVERSO DE ‘STAR WARS’

Livros se passam antes ou depois dos filmes produzidos até agora

SÃO PAULO — Logo no começo de “Star Wars: O despertar da Força” (2015), os personagens mencionam uma batalha da qual só se sabe o nome do planeta onde ocorreu. O confronto, contado em detalhes e com as consequências visíveis para quem assistir ao filme, está em “Estrelas perdidas”, de Claudia Gray, que a Companhia das Letras lançou no fim do ano passado pelo selo Seguinte, dedicado ao público jovem. O livro faz parte do que os fãs chamam de “universo expandido” e se encaixa na cronologia da saga criada por George Lucas nos anos 1970.

 

Na trama, que começa oito anos após a queda da Velha República, acompanha o surgimento da Rebelião e termina com a derrota do Império, os amigos de infância Ciena Ree e Thane Kyrell crescem compartilhando o sonho de se tornar pilotos e, quando chegam à idade adulta, seguem caminhos diferentes. O livro relata, ainda, eventos que se passam depois de “O retorno de Jedi” (1983), e traz pistas sobre o episódio VII. Nenhum dos personagens é mencionado na aventura de Ray e Finn, embora estejam dentro do que os fãs chamam de “cânone”, o conjunto de histórias que forma o universo “Star Wars”.

 

— Ciena e Thane não são mencionados, é verdade. Mas dá para ver alguma coisa da história deles no filme. Tem que ler o livro e entender exatamente o que é — brinca a autora americana, cujo nome verdadeiro é Amy Vincent, em entrevista ao GLOBO.

 

Autora de livros para o público jovem, como a trilogia de ficção científica “Firebird” e a série paranormal “Noite eterna”, ela foi escolhida pela Disney e pela Lucasfilm para escrever “Estrelas perdidas” justamente por seu sucesso junto a esse grupo específico de leitores, que varia de 14 a 21 anos e busca temas um pouco mais adultos.

 

— Lá atrás, nos anos 1990, quando os livros começaram a sair, eu lia cada um deles, e ainda guardo alguns no meu coração, especialmente o trabalho de Timothy Zahn e A.C. Crispin — disse ela, que é fã de “Star Wars” desde os 7 anos de idade. — Sempre gostei de mergulhar nesse universo e descobrir o que poderia estar acontecendo com os personagens.

 

A resposta de Claudia explica também o conceito de “universo expandido”: histórias que não aparecem nos filmes, mostram pontos de vista alternativos e podem cobrir períodos anteriores ou posteriores a eles. Os livros são apenas uma parte desse mosaico, que contém também quadrinhos e séries animadas. O que a autora não explica é a diferença entre as “lendas” e o “cânone”, que aparece quando a Disney compra a Lucasfilm de George Lucas por cerca de US$ 4 bilhões.

 

— As lendas são o cânone antigo ou tudo o que foi feito fora dos filmes antes de a Disney comprar a Lucasfilm e os direitos de produzir “Star Wars” — esclarece Nathalia Dimambro, responsável pela edição brasileira de “Estrelas perdidas”. — O novo cânone é tudo o que foi produzido depois da aquisição e se concentra basicamente em torno da trilogia original (os episódio IV ao VI).

 

A Companhia das Letras lançou sete títulos “canônicos” da saga, incluindo três novelizações dos filmes. Além do livro de Claudia, a editora publicou mais três romances sob uma coleção chamada “Jornada para ‘Star Wars: O despertar da Força’”: “A arma de um Jedi: uma aventura de Luke Skywalker”, de Jason Fry, que se passa entre “Uma nova esperança” (1977) e “O Império contra-ataca” (1980); “A missão do contrabandista: uma aventura de Han Solo e Chewbacca”, de Greg Rucka, ambientado no mesmo período, e “Alvo em movimento: uma aventura da princesa Leia”, de Cecil Castelucci e Jason Fry, cujos eventos ocorrem entre “O Império contra-ataca” (1980) e “O retorno de Jedi” (1983).

 

A editora não revela números de vendas, apenas diz que foram distribuídos 15 mil exemplares de “Estrelas perdidas”, o que confirma a aposta nesse filão. Nathalia diz que a empresa está estudando a compra de novos títulos da saga, especialmente “Star Wars: Before the awakening”, que conta histórias de Rey, Finn e Poe Dameron antes de se encontrarem em “O despertar da Força”.

 

— É um título muito pedido pelos fãs — disse ela. — Mas ainda estamos avaliando.

 

Os títulos adultos e os infantis ficaram com a Aleph, especializada principalmente em ficção científica. Desde 2014, a editora paulista já lançou 14 livros da saga, entre “lendas” e que se incluem no novo cânone. Um dos carros-chefe é “Marcas da guerra”, de Chuck Weding, que esteve no Brasil no ano passado. Ambientado logo após “O retorno de Jedi”, dá dicas do que acontece no cenário político após a queda do Império.

 

— Tem uma passagem que mostra o contrabando do sabre de luz do Darth Vader como se fosse uma relíquia. É uma indicação de que os Cavaleiros de Ren já estavam começando a se organizar — revela Daniel Lameira, editor da Aleph, que contabiliza mais ou menos 300 mil exemplares vendidos reunindo inclusive os livros infantis.

 

A Aleph planeja o lançamento de pelo menos mais quatro títulos do novo cânone em 2016, incluindo “Herdeiro de Jedi”, de Kevin Hearne; “Lords Sith”, de Paul Kemp; “Discípulo sombrio”, de Christie Golden, e “Battlefront”, de Alexander Freed. Um dos diferenciais das edições são as capas exclusivas, encomendadas a estúdios e artistas europeus que são fãs da saga.

 

Fonte: O Globo

Categoria: Literatura e Filmes
Tags: , , , , ,
Comentar
Termo de Uso de Conteúdo –

Nós permitimos e incentivamos a reprodução do conteúdo deste blog, desde que as condições determinadas abaixo sejam respeitadas.
Qualquer utilização que não respeite este Termo será considerada violação de propriedade intelectual e estará sujeita à todas as sanções legais.
Você pode copiar, distribuir e exibir o conteúdo, sob as seguintes condições:


Atribuição

Você deve dar crédito ao autor original sempre que o conteúdo possuir autoria. Veja o exemplo abaixo.
Por: (inserir o nome do autor)


Origem


A fonte deve ser citada da seguinte forma: Fonte: UDF.Blog (com o  link http://blog.udf.edu.br/)


Utilização do conteúdo


É vedada a criação de obras derivadas do conteúdo do UDF.Blog.
Você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.
Você não pode utilizar o conteúdo para finalidades comerciais ou publicitárias.


Política de Privacidade


Todas as informações fornecidas por você serão utilizadas para sua identificação.
Seus dados não serão vendidos ou compartilhados com terceiros sem sua prévia autorização.
Caso tenha solicitado, usaremos seus dados para mantê-lo informado sobre serviços, novidades e benefícios. Você sempre terá a opção de cancelar o recebimento de tais mensagens.


Condições gerais para os comentários


Buscando manter um relacionamento mais próximo e oferecer a possibilidade de participação dos usuários em nossos conteúdos, comentários são permitidos e bem-vindos em nosso blog.
Eles estão sujeitos a aprovação e serão publicados sempre que de acordo com as seguintes condições:

Os conteúdos dos comentários publicados são de responsabilidade dos usuários, não tendo nenhuma interferência ou opinião do UDF Centro Universitário.