PRECISANDO DE HORAS COMPLEMENTARES?

Postado por

Universidade Cruzeiro do SulSeja Bem-vindo ao Blog da Extensão da Cruzeiro do Sul.

Mais posts
em 20/dez/2013 - Sem Comentários

Faça os cursos de extensão em Direito do Campus Virtual Cruzeiro do Sul Educacional. Eles valem como horas extracurriculares para a Graduação.

cursos de direito

Confira os cursos disponíveis acessando o link: Cursos de extensão

2ª Feira da Solidariedade de São Miguel

Postado por

Universidade Cruzeiro do SulSeja Bem-vindo ao Blog da Extensão da Cruzeiro do Sul.

Mais posts
em 08/mai/2012 - Sem Comentários

A Universidade Cruzeiro do Sul participará da 2ª Feira de Solidariedade do Rotary Club São Miguel Paulista, que acontecerá no dia 12 de maio, das 9h às 13h, no Parque Jacuí .

No evento, a Universidade, representada por Carlos Tiveron, assessor da PREAC – Pró Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários, oferecerá gratuitamente à comunidade os seguintes atendimentos:

• Odontologia – orientação sobre escovação e prevenção de câncer bucal;
• Enfermagem – aferição de pressão arterial e teste de glicemia;
• Direito – orientação jurídica;
• Farmácia – orientação sobre uso de medicamentos;
• Nutrição – avaliação nutricional.

Para mais informações ligue: (11) 2958.1477

Veja como chegar:

Endereço: Rua Catléias – Vila Jacui – Complexo viário Jacú-Pêssego
Rodovia Ayrton Senna, Km 23 sentido SP/Rio

Opções de transporte público:

Trem – Na estação Brás pegar o trem com destino à CALMON VIANA pela LINHA VARIANTE (Atual Linha 12 – SAFIRA), descer na estação ERMELINO MATARAZZO e pegar o ônibus 2590-10 – União de Vila Nova na Av. Dr. Assis Ribeiro e descer em frente ao parque.

Metrô – Na estação SÉ pegar o metrô com destino a Estação Corinthians/Itaquera, descer na estação ARTUR ALVIM e pegar o ônibus VILA AMERICANA – Linha 2702-10 (conforme abaixo) . Descer na Av. São Miguel altura do nº 9.000, entrar a esquerda na Rua João José Rodrigues e seguir até o viaduto do complexo viário Jacu Pêssego, entrar a direita e seguir até o acesso ao túnel da CPTM. Após passar pelo túnel, já está no Parque Jacuí

Ônibus

Linha 2590-10
Saída: Terminal Parque D. Pedro II
Destino: UNIÃO DE VILA NOVA
Descer na Rua Catleias, em frente ao Parque Jacui.
Itinerário: Pq. D.Pedro, Av. Celso Garcia, Penha – Rua Cel Rodovalho, Av. Gabriela Mistral, Av. Dr. Assis Ribeiro até o final e vias de acesso após o túnel da CPTM.

Linha: 2702-10
Saída: Metrô Arthur Alvim
Destino: Vila Americana
Descer na Av. São Miguel altura do nº 9.000, entrar a esquerda na Rua João José Rodrigues e seguir até o viaduto do complexo viário Jacú Pêssego, entrar a direita e seguir o acesso ao túnel da CPTM. Após passar pelo túnel, já está no Parque Jacuí.

Universidade Cruzeiro do Sul promove ações no dia da Responsabilidade Social

Postado por

Universidade Cruzeiro do SulSeja Bem-vindo ao Blog da Extensão da Cruzeiro do Sul.

Mais posts
em 20/out/2011 - Sem Comentários

Efraim Caetano

Kaíque Ferreira

Tamiris Gomes

Estudantes e professores da Universidade Cruzeiro do Sul participaram no sábado, 24, do Dia da Responsabilidade Social. O evento realizado na Igreja Nossa Senhora Aparecida, Cantareira/Tucuruvi, Zona Norte de São Paulo, ofereceu à população atividades recreativas, orientações relacionadas à saúde, aferição da pressão arterial, teste de glicemia e atendimentos sobre questões de direito civil e criminal.

Para Eva da Silva Ern, catadora de produtos recicláveis, o dia da Responsabilidade Social é bem vindo para os moradores da região. “A população tem que ser orientada, pois às vezes não procuram como se prevenir porque não sabem”. E acrescenta: “Todas as faculdades deveriam fazer este trabalho, pois aí sim é um verdadeiro estágio”, avalia Eva.

A diarista, Veneide Ferreira, mora no bairro há pouco mais de três anos e foi uma das atendidas no evento. “Aprendi muitas coisas sobre alimentação, pressão (arterial), fisioterapia e isso foi muito importante para mim”, relata Veneide.

Para Maria Francisca, doméstica, a região é carente de serviços relacionados à saúde e ao bem-estar dos moradores. “Se a gente precisa de um médico, a gente não tem. E esse encontro com a comunidade ajuda e muito”, ressalta Maria.

Os benefícios do evento não ficaram restritos à comunidade e estendeu-se aos alunos. “Não dá para você ser um profissional só assistindo a aula e fazendo lição, você tem de olhar para a cara das pessoas”, resume Felipe Américo, estudante de Farmácia.

E ele não estava sozinho.  Para Maria Gorete, estudante de Direito, o Dia da Responsabilidade Social é uma forma de contribuir com a comunidade e de pôr em prática o obtido na teoria. “É uma troca boa e gratificante”, conta Maria.

Durante as atividades, os professores acompanharam de perto o trabalho desenvolvido pelos estudantes. De acordo com Evandro Annibal, professor de Direito, o evento serviu de aula prática onde os alunos tiveram a oportunidade de desenvolver o conhecimento obtido na academia. “O aluno vê a teoria em sala de aula e aqui põe na prática”. E vai além: “O aluno começa a ter mentalidade de profissional, mesmo não estando formado”, afirma Annibal.

Como a união faz a força, A UBS (Unidade Básica de Saúde) Vila Albertina esteve presente e ofereceu orientações de saúde sexual, prática de exercícios físicos e agendamento médico.

Para o gerente da UBS, Marcelo Silva, a participação no Dia da Responsabilidade Social é um meio de conhecer melhor as necessidades da população. “Temos de ter o trabalho extra-muro, pois se a comunidade não vai até nós, nós vamos até a comunidade”, pondera Silva.

“Missão cumprida, consegui passar o meu recado”, conclui Sargento Mendes, 2º grupamento do Corpo de Bombeiros, após orientar a população sobre os primeiros socorros.

As atividades promovidas envolveram 17 cursos de graduação da Universidade Cruzeiro do Sul, o Rotary Club e a UBS da Vila Albertina.


O CRIME DO MARTELO

Postado por

Renato Padovese

Mais posts
em 31/mai/2011 - 13 Comentários

Numa fria tarde paulistana, um garoto brincava tranquilamente na cozinha de sua casa, no bairro da Casa Verde, quando começou a ouvir uma discussão que vinha de algum outro cômodo. As vozes foram ficando mais e mais altas até que sua mãe rompeu a porta, atravessou apressada a cozinha em direção a uma edícula que havia nos fundos da casa. Ao retornar, empunhava um martelo. Encontrou seu marido, também na cozinha, levantou a ferramenta com as duas mãos e desferiu-lhe um golpe no meio do crânio, com tamanha força que fez saltar-lhe os miolos. O corpo tombou para frente, sobre o chão, e o sangue brotou como de um copo entornado, formando um charco quente e viscoso.

Mãe e filho saíram e pousaram aquela noite na casa de uma vizinha, dando uma desculpa qualquer. Retornaram no dia seguinte. O corpo jazia inerte no chão e o ar estava impregnado por um odor forte. Decidida a eliminar as provas, ela foi novamente à edícula, retornando com outro instrumento, desta vez um serrote. Passou, então, a retalhar o cadáver do marido, dispondo as partes em duas malas. A criança assistia a tudo. Em seguida, limpou ferramentas com água e sabão, fazendo o mesmo com o piso ensanguentado. Aparentemente sem mais nenhum vestígio do crime, ligou para seu amante e pediu para ajudá-la a sumir com o corpo, atirando-o no rio Tietê.

O rumo da história mudou quando a polícia encontrou o cadáver e os investigadores conseguiram reunir provas suficientes para levá-la a julgamento. Porém, o competente advogado da ré sustentou que o crime fora praticado em legítima defesa. Em seu depoimento, ela afirmou ter sido ameaçada com uma lâmina de barbear e que foi compelida a “matar para não ser morta”. O júri, sensibilizado, absolveu a ré pelo homicídio, condenando-a apenas pelos crimes de ocultação e destruição de cadáver.

O promotor de justiça, inconformado com a sentença, sobretudo pela brutalidade do assassinato, seguido de esquartejamento, tudo isso testemunhado por uma criança de 9 anos, filho do casal, apelou ao Egrégio Tribunal de Justiça, que atendeu à solicitação. O novo julgamento ocorrerá nesta semana, dia 3 de junho de 2011, no Tribunal do Júri do Palácio da Justiça do Estado de São Paulo, localizado em frente à Praça da Sé.

Na verdade, este julgamento já ocorreu, em dezembro de 1960. A promotoria conseguiu a condenação de Florinda Marques Alves pela morte de seu marido, José Alves. Já seu amante, Krikor Zeitonian, foi condenado pelo crime de ocultação de cadáver. O que vai acontecer na próxima sexta-feira é um Júri Simulado do caso, atividade do Curso de Direito coordenada pelos Professores José Carlos Viana e Fernando Tadeu Marques. Qual tese sairá vencedora desta vez? A da dona de casa indefesa que reagiu aos maus-tratos do marido ou a da adúltera fria e cruel que matou e esquartejou sem se importar com a presença do filho?

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS