TODOS PRONTOS PARA O LUDUM DARE 35?

A próxima edição da Game Jam – maratona de desenvolvimento de jogos – começa no próximo dia 15, no auditório do edifício Reitor Rezende Ribeiro de Rezende (4R). O evento, chamado Ludum Dare 35, reunirá participantes que aceitaram o desafio de desenvolver um protótipo de jogo funcional num espaço curto de tempo em um ambiente competitivo e propício a troca de experiências e formação de parcerias.

 

O Ludum Dare é uma das maiores ferramentas sociais de desenvolvimento independente de jogos e funciona também como uma vitrine para os alunos participantes, oferecendo oportunidades de aprendizado e inserção no mercado de trabalho.

 

Confira o regulamento aqui

 

As inscrições poderão ser feitas até o dia 15 de abril. Clique aqui neste link para fazer a sua.

 

 

Programação

 

Sexta-feira – 15 de abril – AUDITÓRIO
17h00 às 20h00: Recepção dos Participantes;
18h00 às 19h00: Palestras;
19h00 às 20h00: Anúncios;
20h00 às 21h00: Formação dos Grupos;
22h00: Divulgação do tema no site do Ludum Dare.

 

Sábado – 16 de abril – LAB 2
09h:00: Café da Manhã (oferecido pelo UDF);
13h00 às 14h00: Almoço;
16h00 às 17h00: lanche (oferecido pelo UDF);
19h00 às 20h00: Jantar.

 

Domingo – 17 de abril – LAB 2
09h00: Café da Manhã (oferecido pelo UDF);
13h00 às 14h00: Almoço;
16h00 às 17h00: lanche (oferecido pelo UDF);
16h00 às 19h00: Apresentação dos Grupos e envio ao site;
19h00: Encerramento.

Categoria: UDF pra você
Tags: , , , , , , , ,
Comentar

GAME DE CELULAR FAZ DOIS JOGADORES “DANÇAREM”

Jogos de smartphones foram feitos para passar o tempo, sozinho, no ônibus ou na sala de espera do dentista… certo? Não para um estúdio independente da cidade de Utrecht, na Holanda. A Game Oven criou nos últimos anos games que convidam jogadores a dividirem a mesma tela, seja para quebrar o gelo entre desconhecidos, paquerar ou até mesmo para aprender passos de dança.

 

‘Bounden’ acabam dançando (Foto: Divulgação/
Game Oven)

 

O mais recente deles é “Bounden”, disponível para Android (R$ 11) e iOS (US$ 3), que exige que duas pessoas segurem o smartphone (ou tablet) ao mesmo tempo e guiem um alvo por dentro de anéis. A graça é que, para conseguir isso, os jogadores precisam girar os braços e o corpo sem largar o aparelho. A princípio a situação causa desconforto, mas faz com que os dois dancem e reproduzam movimentos coreografados em parceria com o Balé Nacional Holandês.

 

“Exploramos emoções que são incomuns em jogos, como o flerte ou a sensação de estar desajeitado”, afirma Eline Mujires, produtora da Game Oven, ao G1. Ela diz que a ideia de “Bounden” surgiu a partir de outro jogo da empresa, “Friendstrap”, onde os jogadores tinham de fazer movimentos estranhos para deixar o outro em posição desconfortável. “Esse comportamento nos inspirou a usar a rotação do telefone para tentar guiar as pessoas por sequências de movimentos”, conta Eline.

 

Para isso, a empresa convocou um especialista em dança para tornar os movimentos mais “elegantes”. “O coreógrafo Ernst Meisner, do Balé Nacional Holandês, trabalhou próximo de nós. Ele teve de suportar o constrangimento de um telefone guiar sua coreografia e nós tínhamos de ter certeza que seus passos se encaixariam ao jogo. Esse processo de criação foi muito lúdico”.

 

 

Na opinião de Eline, como “Bounden” exige que as pessoas deixem a vergonha de lado e se toquem, “ele se encaixa na categoria de games que quebram o gelo”. A produtora conta o caso de “Fingle”, outro jogo da Game Oven – este sim – desenhado para o flerte, e de suas “recompensas”. “Um cara nos contou que ‘Fingle’ fez ele levar alguém pra cama. Esse deve ser o maior elogio que um game designer pode receber”, brinca. Sobre projetos futuros, ela diz que a empresa tem “alguns protótipos”, e que “um deles envolve usar a sua língua”.

 

Fonte: G1

Categoria: Fique de Olho
Tags: , , , ,
Comentar

EMPRESAS ANUNCIAM LANÇAMENTOS DE GAMES EM EVENTO GAMESCOM NA ALEMANHA

Evento na Alemanha reforçou a aposta das grandes empresas em desenvolvedores independentes. Além dos novos jogos, as companhias apresentaram mais características dos consoles

Um dos eventos de maior magnitude na indústria dos games, a Gamescom deste ano ocorreu no gigantesco prédio Palladium, em Colônia, na Alemanha. Fazendo jus ao apelido de “E3 da Europa”, o evento abrigou não só os aficionados por videogames, que puderam testar jogos e os consoles da nova geração, mas também recentes tecnologias, como o inovador Oculus Rift — um aparelho de realidade aumentada. Houve ainda, claro, inúmeros anúncios de jogos — ou mais detalhes sobre os que foram apresentados anteriormente —, como Fighter within, The sims 4, Peggle 2, e Murasaki baby. Em meio a fãs fantasiados de personagens favoritos e estandes de empresas, as cortinas se abriram para o principal: as conferências da Sony, da Microsoft e da Electronic Arts, que deram mais uma amostra de como será a próxima geração.

 

Os aficionados por games marcaram presença na edição deste ano da Gamescom: Sony, Microsoft e Electronic Arts fizeram a festa com os próximos lançamentos nessa área

 

Sony
A empresa fez uma apresentação de quase duas horas, mostrando a interface do menu do Playstation 4, além de algumas características do aparelho, como entrar em uma transmissão ao vivo do game e se juntar a um amigo. Outro ponto alto foi o novo trailer de Gran turismo 6, que trará carros conceito de várias marcas conhecidas.

 

Houve uma surpresa durante a conferência: o depoimento de que as três empresas parceiras da Sony (Media Molecule, Santa Monica e Naughty Dog) estariam trabalhando em títulos para a próxima geração.

 

Fonte: Correio Web (Íntegra)

Categoria: Em pauta
Tags: , , , ,
Comentar

NO DF, 4G É ATÉ NOVE VEZES MAIS RÁPIDA, MAS NÃO HÁ REDE NO AEROPORTO

Testes foram feitos sábado (27) com aparelhos e chips cedidos pela Claro. G1 avaliou serviço da nova tecnologia em quatro pontos da capital federal.

Raquel Morais Do G1 DF (Íntegra)

 

A quarta geração de banda larga móvel (4G), lançada no Distrito Federal pela Claro no dia 16 de abril, apresentou rendimento superior ao da rede 3G, com velocidade de download até nove vezes maior, segundo teste realizado pelo G1 no sábado (27) em quatro pontos da capital. A avaliação foi feita no Aeroporto Juscelino Kubitschek, nos arredores do Estádio Nacional, no Congresso Nacional e no Setor Hoteleiro Norte.

 

A nova conexão passou a ser exigida na terça-feira (30) em Brasília e em mais cinco cidades que serão sede da Copa das Confederações: Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte.

 

Os testes consideraram o desempenho das redes no upload de fotos no Facebook, envio da imagem por email e download de aplicativos. A proposta previa ainda o uso do YouTube, que não aconteceu por problemas nos aparelhos utilizados na avaliação.

 

As operações foram realizadas com smartphones do modelo Samsung Galaxy S III – um dos cinco que possuem acesso à banda larga móvel de quarta geração – e com chips cedidos pela Claro.

 

O G1 não conseguiu captar o sinal do 4G na área de desembarque doméstico, no piso térreo, nem em frente aos portões de embarque nacional, no primeiro andar, do Aeroporto JK.

 

Confira os resultados:

 

SpeedTest (Foto: Reprodução)

 

Velocidade
Foram realizados três testes sequenciais de velocidade no Congresso, por meio do aplicativo SpeedTest, que apontaram velocidade média, nas redes 4G, de 9,2 megabits por segundo (Mbps) no download e de 11,15 Mbps no upload. No 3G os índices ficaram em 2,129 Mbps e 1,569 Mbps, respectivamente.

 

A velocidade média da rede 4G na região dos hotéis foi de 6,93 Mbps no download e de 9,58 Mbps no upload, contra 2,338 Mbps e 1,596 Mbps, respectivamente, no 3G.

 

Já no Estádio Nacional, a velocidade média nas redes 4G foi de 13,89 Mbps no download e de 5,79 Mbps no upload. No 3G, os índices no estádio foram de 1,359 Mbps e 1,403 Mbps.

 

Facebook
No Congresso, o tempo de publicação de foto recém-tirada no local foi 3 segundos via rede 4G, contra 8 segundos na 3G. No Setor Hoteleiro Norte, foram precisos 4 segundos com a rede 4G, menos do que os 6 segundos utilizando o 3G. No estádio, a nova tecnologia de conexão garantiu o cumprimento da tarefa em 3 segundos, contra os 8 segundos usando 3G.

 

E-mail
O tempo no Congresso para enviar uma foto por e-mail com a conexão 4G foi de 2 segundos, contra 5 segundos com a rede 3G. Na área dos hotéis, os tempos com 4G e 3G foram, respectivamente, de 6 e 7 segundos. Já no estádio, a tarefa utilizando a rede 4G foi cumprida em 5 segundos, maior que os 4 segundos gastos com o 3G.

 

 

Game
Para fazer o download do game “Dead Trigger”, que tem 164 Megabytes (MB) de tamanho, foram necessários 3 minutos e 15 segundos com a tecnologia 4G no Congresso, tempo bem inferior aos 6 minutos e 13 segundos gastos com o 3G. No Setor Hoteleiro Norte, o teste levou 3 minutos e 6 segundos com a tecnologia 4G e 7 minutos e 2 segundos com o 3G. No Estádio Nacional, o jogo levou 3 minutos e 18 segundos para ser baixado com 4G, contra 20 minutos e 56 segundos com 3G – mais de 6 vezes que o registrado com a nova tecnologia.

 

Tabela comparativa:

 

 

‘Ainda está em construção’
Segundo especialistas em telecomunicações, o 4G deve alcançar, em média, uma velocidade de acesso entre 20 e 40 vezes mais rápida do que a oferecida pela rede 3G – entre 256 kilobits por segundo (Kbps) e 1 megabit por segundo (Mbps).

 

A diretora regional da Claro no Centro-Oeste, Soraia Tupinambá, disse que desde o lançamento da tecnologia em Recife, no começo de fevereiro, cinco mil brasileiros já aderiram à nova plataforma.

 

Ainda sem um balanço das vendas no DF, Soraia afirmou que a tecnologia foi implantada em 90% do Plano Piloto e abrange 50% – mínimo exigido pela Anatel – nas outras regiões administrativas. A diretora também alertou para o fato de o 4G ainda não estar funcionando totalmente no interior do aeroporto, fato constatado durante o teste pelo G1. As operadoras e a Infraero chegaram a um acordo na última semana sobre a construção das antenas nos terminais.

 

A cobertura ainda está em construção. O que se pode dizer é que é um serviço com qualidade superior a que se tem em casa. É muito mais do que o que se tem por wi-fi [conexão sem fio], que nos melhores pacotes chega a 10 megabytes”

 

Soraia Tupinambá, diretora da Claro no Centro-Oeste

 

“A cobertura ainda está em construção. O que se pode dizer é que é um serviço com qualidade superior a que se tem em casa. É muito mais do que o que se tem por wi-fi [conexão sem fio], que nos melhores pacotes chega a 10 megabytes”, disse. “A gente quer oferecer aos usuários a melhor experiência de acesso móvel à internet.”

 

De acordo com Soraia, já no pacote mais barato, o 4G atende às necessidades de quem diariamente utiliza o celular para acessar redes sociais e o YouTube, usar email e fazer downloads de músicas.

 

“Também é ideal para quem é aficcionado por tecnologia, novidade, rapidez. Isso não significa que o 3G seja insuficiente. Na verdade, a qualidade dele tende a melhorar, já que a adesão de uns à outra plataforma vai acabar fazendo com que esse terminal desafogue.”

 

A estudante de direito Jéssica D’avilla disse estar curiosa para conhecer a tecnologia. Para ela, que trocou de operadora recentemente, depois de ter o iPhone furtado seis dias após a compra, o 3G da Claro já supria as necessidades.

 

“Ele é muito bom, ainda mais em comparação com outros 3G do mercado, que é o que tenho agora.” A adesão à outra empresa ocorreu pelo desconto oferecido na compra de um novo aparelho.

 

Os pacotes do 4G disponibilizados pela Claro possuem franquia de 2 gigabytes (GB) ou 5 GB, com preços a partir de R$ 178. Em todos, torpedos e ligações para números da Claro são ilimitados. Eles variam até R$ 351, dependendo da quantidade de minutos de voz escolhida. Já no caso do 3G, os pacotes têm franquia de 300 megabytes (MB) ou 600 MB, com taxas entre R$ 128 e R$ 301.

Categoria: Em pauta
Tags: , , , , , , , ,
Comentar

ENCANADORES MAIS FAMOSOS DOS VIDEOGAMES COMPLETAM TRINTA ANOS DE IDADE

Um dos mais populares videogames da história, Mario Bros. completa três décadas este ano. Novos títulos da franquia estão previstos

Quando surgiu nas telas de fliperama em 1981, Mario era somente um conjunto de pixels que pulava os barris jogados por Donkey Kong para impedi-lo de resgatar uma princesa. Na época, ele era chamado simplesmente de Jumpman, e era visto como coadjuvante. Dois anos depois, o encanador seria batizado e ganharia um irmão, dando início à mais bem-sucedida franquia na história dos videogames. Trinta anos depois de lançar a versão arcade de Mario Bros., a Nintendo já vendeu mais de 210 milhões de jogos estrelados pelo italiano de boné vermelho, que ainda conquista crianças e adultos fãs do seu enorme universo, repleto de personagens e cenários de personalidade única.

 

Mario (D) e seu irmão, Luigi: dupla de heróis faz com que amigos e irmãos brinquem de forma colaborativa

O modelo de Mario Bros. representou uma verdadeira revolução na história dos videogames, aperfeiçoando o modelo de plataforma. Diferentemente das telas paradas de jogos primitivos como Space invaders e Centipede, o personagem, desde o começo, pulava de um ponto para outro num cenário em movimento, matando inimigos em direção ao fim de cada fase. O modelo se tornaria praticamente padrão para os jogos desenvolvidos na década de 1990. “Os jogos acabaram seguindo essa linha de side scrolling, que consiste em andar para a lateral. Ele não criou, mas refinou o estilo, e inspirou jogos como o Alex kid e muitos outros. Essa mecânica ainda funciona hoje em dia, e está muito presente nos jogos para celulares”, explica Vinícius Godoy de Mendonça, professor do curso de especialização em tecnologia de jogos digitais da PUC do Paraná.

 

Íntegra: Correio Braziliense

Categoria: Acontece
Tags: , , ,
Comentar

MULHERES REPRESENTAM 47% DO PÚBLICO DE GAMES NO BRASIL

Foi-se o tempo em que o mundo de games era restrito aos homens e às ocasionais amigas nerds dos meninos mais viciados. É que, de acordo com uma pesquisa realizada pelo IBOPE Media, as mulheres já representam um montante de 47% das pessoas que jogam, com regularidade, algum tipo de jogo eletrônico no Brasil.

 

Intitulada “1ª. Pesquisa Games Pop”, o estudo – divulgado pela Atrativa, subsidiária latino-americana da produtora GameHouse – aponta ainda que 51% destas mulheres pertencem à classe A, e têm idade entre 40 e 49 anos. Surpreendente, né? Um pouco, mas nem tanto. É que antes de você sair atrás de conferir se sua mãe ou tia andam viciadas em Uncharted ou Assassin’s Creed, vale saber o seguinte: na verdade, boa parte dessa dimensão se deve ao crescimento de games casuais online, para PC e redes sociais. Sim, ainda tem muita gente jogando Farmville e Song Pop.

 

Nesses segmentos, a participação feminina varia entre 55% (jogos casuais) e 77% (jogos disponíveis em redes sociais). “Os jogos casuais trazem uma experiência simples, sem jogabilidade complexa, para aquelas pessoas que gostam de se divertir, mas sem investir muito tempo ou esforço. Além disso, o apelo estético e a temática também fazem diferença. O público casual procura diversão instantânea, para aqueles momentos curtos do dia em que precisamos de distração”, explica André Faure, diretor executivo da Atrativa.

 

Fonte: Íntegra Super Interessante

Categoria: Acontece
Tags: , , , , , , ,
1 Comentário

RELEMBRE GRANDES GAMES DO ATARI

Hoje a empresa de produtos eletrônicos Atari completa 40 anos. Vamos matar a saudade de alguns deles?

 

Pitfall foi lançado para o console Atari 2600 em 1982. É o segundo jogo mais vendido para este console: foram 4 milhões de cópias

 

 

Pac Man: Um dos games mais conhecidos. O jogo não foi criado pela Atari, mas a empresa lançou versões para seus consoles Atari 2600, Atari 5200 e Atari 7800

 

 

Breakout: Lançado em 1976, foi desenvolvido pela própria Atari. Sua inspiração foi o jogo Pong de 1972, também da empresa.

 

 

Outro game importante foi do Donkey Kong, de 1981. Além de ser um jogo divertido, é nele que o personagem Mário aparece pela primeira vez.

 

 

Missile Command: De 1980,a missão era fácil de entender: o jogador tinha que impedir que as cidades fossem destruídas por dezenas de mísseis.

 

 

River Raid: No jogo você controla um caça, destruindo navios, helicópteros e jatos inimigos

 

 

Em 1985, a Atari também lançou a versão em game do filme Star Wars: O Império Contra-ataca (Star Wars: The Empire Strikes Back)

 

 

Esse jogo todo mundo conhece. Estamos falando do Mário Bros, lançado pela Nintendo em 1983. Dava pra jogar em várias plataformas do Atari: Atari 2600, Atari 5200, Atari 7800 e Atari XEGS.

 

 

Fonte: Super Interessante

Categoria: Em pauta
Tags: , , , , , , ,
1 Comentário
Termo de Uso de Conteúdo –

Nós permitimos e incentivamos a reprodução do conteúdo deste blog, desde que as condições determinadas abaixo sejam respeitadas.
Qualquer utilização que não respeite este Termo será considerada violação de propriedade intelectual e estará sujeita à todas as sanções legais.
Você pode copiar, distribuir e exibir o conteúdo, sob as seguintes condições:


Atribuição

Você deve dar crédito ao autor original sempre que o conteúdo possuir autoria. Veja o exemplo abaixo.
Por: (inserir o nome do autor)


Origem


A fonte deve ser citada da seguinte forma: Fonte: UDF.Blog (com o  link http://blog.udf.edu.br/)


Utilização do conteúdo


É vedada a criação de obras derivadas do conteúdo do UDF.Blog.
Você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.
Você não pode utilizar o conteúdo para finalidades comerciais ou publicitárias.


Política de Privacidade


Todas as informações fornecidas por você serão utilizadas para sua identificação.
Seus dados não serão vendidos ou compartilhados com terceiros sem sua prévia autorização.
Caso tenha solicitado, usaremos seus dados para mantê-lo informado sobre serviços, novidades e benefícios. Você sempre terá a opção de cancelar o recebimento de tais mensagens.


Condições gerais para os comentários


Buscando manter um relacionamento mais próximo e oferecer a possibilidade de participação dos usuários em nossos conteúdos, comentários são permitidos e bem-vindos em nosso blog.
Eles estão sujeitos a aprovação e serão publicados sempre que de acordo com as seguintes condições:

Os conteúdos dos comentários publicados são de responsabilidade dos usuários, não tendo nenhuma interferência ou opinião do UDF Centro Universitário.