Muito além do Candy Crush

Postado por

Regina Tavares

Mais posts
em 09/out/2014 - 4 Comentários

Por Regina Tavares

Que tal aprender sobre a Segunda Guerra Mundial sob a ótica de um soldado em pleno combate na batalha de Stalingrado? Estas e outras situações já são possíveis graças à gamificação. O uso dos elementos dos jogos já vem sendo empregado tanto em ambientes virtuais de aprendizagem quanto em salas de aula presenciais, e pasmem, também em empresas de diferentes segmentos e portes.

Tais elementos correspondem a pontuações, prêmios, missões, rankings e avatares.  Ao contrário do que imaginavam os especialistas mais conservadores, a aprendizagem mais atraente e lúdica, permitida pelos jogos, envolve a superação de fases, o enfrentamento de desafios e o despertar da curiosidade, da interatividade, da motivação e do senso crítico.

gamificação

Subindo de nível

O uso frequente de games no mundo parece já ter pulado de fase. De acordo com a consultoria M2 Intelligence, a área movimentou US$ 450 milhões em 2013 e pode chegar ao ápice de até US$ 5 bilhões e meio até 2018.

Pensando de forma ampla, além da sala de aula e dos tradicionais computadores de mesa, os dispositivos móveis também se configuram como espaços favoráveis ao casamento entre jogos e educação.

Ponto para a educação

Um estudo realizado pela NewZoo revela que 76% dos brasileiros, com acesso à internet, jogam videogame e mais da metade dos usuários de redes sociais participa de games online. Já pensou se essa potencialidade e disposição fossem aproveitadas a favor da educação? Fica a dica.

games

Confira um exemplo bem sucedido de gamificação em: http://www.geekiegames.com.br/

BOLINHA DE SABÃO – TAPAPLEC TUPIM – LEMBRANÇAS

Postado por

Carlos Augusto Andrade

Mais posts
em 20/jun/2011 - 3 Comentários

As crianças e adolescentes hoje estão tão envolvidos com novidades tecnológicas que quando os convidamos para brincar, já ouvimos sem pestanejar: legal qual game vamos jogar? E não fica nisso, pois a indústria de entretenimento inova a cada dia, com a finalidade de atrair cada vez mais esse público para à frente das telas.

O sonho de todo gamer, nome dado aos fãs dos jogos interativos mediado por programas sofisticados, é ainda experimentar seu jogo predileto em um ambiente de realidade virtual. O que em pouco tempo será feito com certeza.

Não quero discutir aqui o bem ou o mal que possa fazer às crianças ficarem horas e horas envolvidas com os chamados games. A discussão aqui passa pela nostalgia das brincadeiras que já fizerem parte do universo infantil e a cada dia desaparecem esquecidas pelo tempo.

Já brinquei e brinco até hoje com games. No entanto, acredito ser fundamental recuperarmos algumas coisas que foram tão importantes para nós no processo de socialização e envolvimento infantil.

Lembro-me bem das brincadeiras de roda, a amarelinha, uma partida de xadrez ou de damas no tabuleiro montado pelos amigos.

E fazer bolinhas de sabão? Como eu brinquei com elas. Espaçonaves que voavam pelo céu, levando segredos que não poderiam ser violados. Muitas risadas, quantas explosões nesse mundo fictício criado por meio delas. Passeávamos com nelas, planando de um lugar para o outro, até o momento da desintegração desses transportes da imaginação movidos pelo fôlego humano, ou melhor, pelo fôlego infantil.

Lembrei das bolinhas de sabão, no momento em que procurava algumas músicas no youtube. De repente, lá estava ela “Bolinha de Sabão” de Orlando Ivo e Adilson Azevedo. Ouvi-la fez-me retornar a esses bons momentos da vida, como a própria letra apresenta: “sentado na calçada de canudo e canequinha, eu vi um garotinho, fazer uma bolinha, bolinha de sabão”.

Não quero construir nenhuma apologia dizendo que devemos deixar a tecnologia de lado e recuperar a qualquer custo, tão somente, as brincadeiras de interação pessoal. Jamais proporia tal coisa. No entanto, podemos fazer as duas. O que acham?

Ou seja, com meus netos quero brincar de games, mas não quero deixar de lado as brincadeiras que me fizeram tão bem na infância. Pra falar a verdade, no próximo final de semana, vou brincar com Ana Luisa e vai ser de bolinha de sabão e, se sobrar tempo, quem sabe uma partida de Super Mário World.

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS